Arquivo da categoria: Homossexualismo

Lanna Holder assume homossexualismo e lança nova igreja gay com companheira pastora

A Comunidade Evangélica Cidade Refúgio é a mais nova igreja sem preconceitos do Estado de São Paulo, fundada pela missionaria Lanna Holder a igreja acolhe os homossexuais sem julgamentos, dizendo dar-lhes um local para que possam adorar a Deus sem serem apontados ou acusados por outras pessoas.

 

Anúncios

Recurso é apresentado na Califórnia para anular casamentos gays

Confira a matéria na integra do site G1 explicando como foi esse fato na Califórnia – USA.

Para grupo, apenas uniões entre homens e mulheres são válidas. Organização reúne católicos e evangélicos.

Os adversários do casamento entre homossexuais que derrubaram as uniões oficiais entre pessoas do mesmo sexo na Califórnia, em novembro passado, apresentaram nesta sexta-feira (19) um recurso para anular os 18 mil matrimônios gays legais efetuados em 2008 no estado.

A mesma organização que convocou um referendo sobre o casamento gay e derrubou a decisão que permitia tais uniões, em 4 de novembro passado, apresentou um recurso à Suprema Corte da Califórnia pedindo a anulação das uniões oficiais entre pessoas do mesmo sexo concedidas entre junho e novembro deste ano.

Em sua alegação, os membros da organização, que reúne várias igrejas evangélicas e católicas, afirmam que não há lugar para que o máximo tribunal do Estado ignore o resultado do referendo de 4 de novembro porque a consulta foi “muito clara”.

No referendo, os eleitores da Califórnia emendaram a Constituição estadual para declarar que “apenas é legal e reconhecido o matrimônio entre um homem e uma mulher”.

Emendas similares foram adotadas após referendos na Flórida, Arizona e Arkansas.

Os casamentos entre pessoas do mesmo sexo tinham sido legalizados em junho na Califórnia, após a decisão da Suprema Corte do estado que anulou um artigo do código civil que impedia este tipo de união oficial.

Nova ofensiva

Entre a decisão da Suprema Corte e a emenda constitucional impedindo o casamento gay, 18 mil casais homossexuais contraíram matrimônio na Califórnia.

Esta nova ofensiva dos grupos mais conservadores dos EUA ocorre após o Supremo da Califórnia aceitar três ações contra o resultado do referendo.

Os estados de Massachusetts e Connecticut ainda permitem o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo.

por Patrão – ao retirar informações de nosso blog use a consciência, cite sua fonte.

Casamento Gay é abolido pela Califórnia

Cerca de 18 mil casais do mesmo sexo já subiram ao altar na Califórnia. Proibições também foram aprovadas nos estados do Arizona e da Flórida.

O estado americano da Califórnia aprovou em votação desta terça-feira (4) a emenda constitucional que proíbe o casamento homossexual, segundo a secretaria estadual. De acordo com a agência France Presse, com cerca de 95,8% dos votos apurados, a emenda passou por 52,1% contra 47,9%.

A “Proposta 8″ defende a modificação da Constituição do estado para definir o casamento apenas como a união entre homens e mulheres, o que significaria derrogar a decisão do Tribunal Superior de Justiça da Califórnia, que legalizou as uniões homossexuais em maio. Desde então, cerca de 18 mil casais do mesmo sexo realizaram na Califórnia seu sonho de chegar ao altar.

O texto do referendo propunha a inclusão de uma emenda à Constituição estadual que afirma: “Somente o casamento entre um homem e uma mulher é válido ou reconhecido na Califórnia”.

Paralelamente, duas propostas similares para proibir as uniões homossexuais ganharam com folga nos estados do Arizona e da Flórida nesta quarta.

Sondagem

No estado de 37 milhões de pessoas o “Sim” à Proposta 8 vinha ganhando pontos nas pesquisas desde agosto, quando se intensificou a campanha a favor da medida, que teve como alvo em especial os valores católicos da comunidade latina, que representa mais de 30% da população da Califórnia e que em 2000 votou em maioria contra os casamentos gays em uma consulta similar.

Segundo o Instituto de Políticas Públicas da Califórnia, 52% votariam “Não” à proibição dos matrimônios gays e 44% “Sim” aos casamentos apenas entre um homem e uma mulher, de acordo com resultados da semana passada.

Brad Pitt, Steven Spielberg, Ellen DeGeneres e a multinacional Apple são algumas das celebridades californianas que doaram até US$ 100 mil a favor do “Não”.

Nesta semana, no entanto, estrelas latinas tiveram que entrar na campanha para rebater os argumentos dos patrocinadores do “Sim”.

“Votar “Não” à Proposta 8 é preservar a integridade da igualdade dos direitos neste país. Não se trata de ser gay ou ser heterossexual, se trata de ser americano”, afirma America Ferrera, ao lado de dois colegas latinos da série “Ugly Betty”, Tony Plana e Ana Ortiz.

Conhecido como um reduto do Partido Democrata e progressista, a Califórnia também é o estado que elegeu duas vezes como governador o ator republicano Arnold Schwarzenegger, além de ser a sede de grupos antiimigrantes radicais em bairros próximos da fronteira com o México. Estes últimos grupos também fazem campanha contra o casamento gay.

Fonte: G1

Homossexual processa duas editoras de Bíblias

 Segundo o USA Today, Bradley LaShawn Fowler, um homossexual, alega que os seus direitos constitucionais foram violados pela Zondervan Publishing Co. e a Thomas Nelson Publishing, por terem causado dano deliberadamente aos homossexuais devido a interpretações “errôneas” da Bíblia.

Fowler indica que as mudanças feitas deliberadamente em I Coríntios 6:9 levaram a que ele “ou qualquer pessoa homossexual a ser sofrer agressões verbais, discriminação, situações de ódio e violência física… incluindo assassinato”.

Segundo Fowler, embora a Bíblia seja passível de múltiplas traduções, a utilização específica da palavra “homossexual” não é uma tradução mas sim uma mudança intencional refletindo uma opinião pessoal ou a conclusão de um grupo. 

 

Fonte: O Verbo 

Igreja evangélica permite casamento gay

Eduardo subiu primeiro ao altar. Paullo o alcançou depois de um atraso programado, buquê de flores nas mãos. Cantava “Uma Vez Mais”, tema da abertura da novela Alma Gêmea, da TV Globo. “Quando eu te vi, o sonho aconteceu”, entoou, lágrimas nos olhos. Eduardo Silva, de 27 anos, é ex-pastor da Igreja Universal do Reino de Deus. Paullo Oliveira, de 31, é filho de um famoso pastor da Assembléia de Deus. Casaram-se há duas semanas pelas bênçãos da Igreja Contemporânea, uma denominação evangélica pentecostal criada há um ano no Rio de Janeiro para abrigar um rebanho sem lugar na maioria das denominações religiosas: os gays.
(…)
No Brasil, os gays evangélicos que desejam um casamento religioso podem escolher entre pelo menos três igrejas: a Igreja Contemporânea, a Igreja da Comunidade Metropolitana (ICM), denominação americana que tem filiais em sete Estados brasileiros, e a Comunidade Cristã Nova Esperança, de São Paulo. O fundador da Contemporânea, Marcos Gladstone, chegou a abrir uma filial da ICM, mas percebeu que no mercado religioso brasileiro havia espaço para uma igreja que acolhesse os gays, mas que não fosse militante. “A ICM é quase um movimento polí-tico em defesa da causa gay. Mas no Brasil os fiéis não gostam de misturar religião e militância”, diz Gladstone. “A Contemporânea não é uma igreja gay, mas que aceita gays. Os homossexuais estavam em busca de um lugar para professar a sua fé.”
(…)
No Brasil, Eduardo e Paullo só serão casados em sua fé. A lei brasileira ainda não permite o casamento no Civil. O Projeto de Lei no 1.151, de 1995, da então deputada federal Marta Suplicy, contempla o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas está há mais de dez anos tramitando no Congresso sem previsão de votação. Desde 2001, casais brasileiros têm conquistado na Justiça o reconhecimento da relação como “união estável” – figura jurídica que garante direitos como pensão e bens adquiridos em conjunto. No mundo, países como Dinamarca, Holanda e Canadá já aprovaram a união civil entre gays. Na América Latina, capitais como Buenos Aires e Cidade do México criaram leis que permitem a união civil de homossexuais.

Na terça-feira (18), os gays marcaram um ponto histórico no Cone Sul. O Uruguai tornou-se o primeiro país da América Latina a reconhecer legalmente a união civil de pessoas do mesmo sexo. Aprovada pelo Senado por unanimidade, a lei precisa agora ser sancionada pelo presidente Tabaré Vázquez.
(…)

Fonte: Gospel +